Governo de SP e prefeitura anunciam ação conjunta para tentar acabar com a Cracolândia – Notícias


O Governo de São Paulo e a prefeitura da capital lançaram nesta terça-feira (24) um programa a ser implantado na região da Cracolândia, no centro, em mais uma tentativa de acabar com o fluxo de usuários de drogas na região.


A ação foi anunciada pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) e pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) e prevê uma operação conjunta que envolve não apenas as forças de segurança, mas também ações em áreas como saúde, habitação e assistência social.


Tarcísio afirmou que se trata de uma tarefa difícil e que diferentes gestões já tentaram suas estratégias, mas acabaram não obtendo sucesso. “Talvez a gente estivesse abordando esse problema da forma errada. Muitos especialistas foram ouvidos. Cada especialista tem um ponto de vista diferente sobre o problema”, afirma.


O programa será coordenado pelo vice-governador, Felício Ramuth (PSD), e terá quatro diretrizes:


• abordagem qualificada, com 200 profissionais com experiência no tratamento de dependência química;

• no momento em que a abordagem funciona, o usuário será levado para um “hub”, que vai funcionar no Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas), mas vai analisar as necessidades dos pacientes;

• integração da jornada de cuidados desses pacientes entre estado e município; e

• plena oferta de serviços públicos em todas as frentes de atuação, por meio da atualização do cadastro único.


Na área da segurança, serão usadas 500 câmeras inteligentes, e o mesmo número de policiais atuará em operação delegada — o bico oficial, fora do horário normal de trabalho. Quando não houver flagrante, os policiais militares poderão fazer registro de ocorrência para fins judiciais sem precisar se deslocar até uma delegacia.


O governador Tarcísio de Freitas ressaltou que a presença policial buscará “impedir a livre ação do tráfico que alimenta o fluxo”. A internação compulsória (autorizada pela Justiça) vai ser usada apenas em último caso, segundo o mandatário. “Não pode ser descartada. Mas vamos trabalhar com as outras opções de acolhimento antes.”




Outras frentes



O governo anunciou que 500 leitos serão disponibilizados imediatamente para comunidades terapêuticas. Outros 220 ficarão em hospitais gerais, 40 para desintoxicação no Centro Helvétia e 40 leitos de longa permanência na AMA Boraceia.


O governo estadual oferecerá ainda 5.000 oportunidades de aluguel-social àqueles que já estão dentro dos equipamentos públicos do município. Outra ação anunciada foi a construção de 600 novas unidades de habitação na alameda Cleveland, na região da Cracolândia.


A gestão Ricardo Nunes pagará entre R$ 600 e R$ 1.200 para famílias que acolherem parentes com dependência química.